Você está em:

Vereadores visitam o CCZ de Ouro Preto

E-mail Imprimir PDF

Acompanhados de representantes do Instituto de Defesa dos Direitos dos Animais (IDDA), os vereadores Geraldo Mendes (PCdoB), Alysson Gugu (PPS), Chiquinho de Assis (PV) e Regina Braga (PSDB) estiveram, na manhã dessa sexta-feira (1º), no Centro de Controle de Zoonoses de Ouro Preto com o objetivo de fiscalizar a estrutura do ambiente e os cuidados com os animais.

O Centro de Controle de Zoonoses é um serviço terceirizado pela Prefeitura de Ouro Preto para desenvolver ações de campo para o controle de doenças que são transmitidas ao homem por meio de alguns animais. No entanto, os parlamentares têm recebido constantes reclamações sobre a insalubridade no local. “É uma situação lamentável, é um lugar destinado somente para animais doentes, no entanto, também estão trazendo cães sadios que acabam sendo contaminados. Nem os já doentes e nem os que são contaminados posteriormente recebem os devidos cuidados”, salientou o vereador Geraldo Mendes (PCdoB).

De acordo com Alysson Gugu (PPS), a situação já era recorrente. “Já conhecíamos o problema. Além de ter animais saudáveis em contato com doentes, o espaço é inadequado, ficando os animais aglomerados em jaulas muito pequenas, o que impossibilita a movimentação dos cães e a melhor higienização deles”, frisou o parlamentar. Para Regina Braga (PSDB), “a visita foi muito proveitosa, e o caminho tem que ser de reunir o Legislativo com o Executivo e as ONGs para acharmos uma solução para esse problema, pois o correto é ter um abrigo somente para os animais saudáveis e outro somente para o CCZ. O que vimos foi uma estrutura pequena e repleta de equívocos”.

O Instituto de Defesa dos Direitos dos Animais também acompanhou a visita surpresa dos vereadores, trata-se de uma organização não governamental e sem fins lucrativos criada em 2013 por protetores e simpatizantes da causa animal. “Iremos nos reunir para montarmos uma pauta em que todos fiquem de acordo. Os vereadores também viram aqui a situação dos animais, que é caótica e desumana. Eles estão em situação de maus tratos, e a gente visa o bem-estar animal, buscando criar essa relação de aproximação do ser humano com os bichos. O nosso objetivo, nesse caso, é que o município assuma esse compromisso e pare de terceirizar esse serviço para que nós possamos realmente ver o dinheiro investido para a saúde desses animais”, enfatizou Luciana Sales, representante do IDDA.