Você está em:

Audiência avalia proibição de livros de RPG em Ouro Preto

E-mail Imprimir PDF

Audiência avalia proibição de livros de RPG em Ouro Preto



Nesta sexta-feira, 14 de outubro, exatamente 4 anos após o assassinato da estudante Aline Silveira Soares, a Câmara de Vereadores de Ouro Preto promove uma audiência pública para tratar da proibição da venda de livros de RPG (Roler Play Game) na cidade.

A ideia é da promotora Luiza Helena Trócilo, que está sugerindo à Câmara a criação de um Projeto de Lei proibindo a venda dos títulos Vampiro, Divina Comeida e Iluminat. Ela é responsável pelo caso do assassinato da estudante Aline, morta em um ritual macabro, supostamente motivado pela participação em uma partida de RPG.

Além da promotora Luiza Helena, está confirmada a presença do procurador da República Fernando Almeida Martins, autor de uma ação civil pública que pede a proibição do jogo de RPG no Brasil. Também foram convidados os familiares de Aline e participantes da Associação Mineira de RPG.


Publicado por: Assessoria de Comunicação em 13/10/2005